Últimas Notícias

Evolução da Tecnologia de Estruturas possibilita Obras Espetaculares

Gestão e Tecnologia

Data: 00/00/0000

Evolução da Tecnologia de Estruturas possibilita Obras Espetaculares

Sede da Televisão Central de P

Fonte: fonte :wikipédia

Evolução da tecnologia de estruturas possibilita obras espetaculares




   O 17º Seminário Tecnologia de Estruturas: Projeto e Produção com Foco na Racionalização e Qualidade, que o SindusCon-SP realizou no fim do mês de outubro, revelou como a evolução dos métodos construtivos possibilita, hoje, a execução de projetos espetaculares, desafiadores. “Organizamos este evento já há 17 anos e a produtividade tem estado sempre em nossas pautas”, afirma Jorge Batlouni, vice-presidente de Tecnologia e Qualidade.


   O engenheiro de estruturas irlandês Rory McGowan, sócio do renomado escritório internacional de consultoria em engenharia Arup, foi o grande destaque do evento. “Ele mostrou, em sua palestra, obras espetaculares, desafiadoras – e de custo muito elevado –, que ele realizou mundo afora e que nós, brasileiros, não estamos conseguindo realizar. Historicamente, aqui no Brasil, fazíamos grandes obras, como Ponte Rio-Niterói e a Rodovia dos Imigrantes”, ressalta Batlouni. McGowan compartilhou a sua experiência de trabalho em projetos como o do Aeroporto Internacional de Kansai, no Japão, da sede da Televisão Central de Pequim (CCTV) e do Taipei Performing Arts Centre, ambos na China, e da Casa da Música, na cidade do Porto, em Portugal. “O que marca esses projetos é o fato de a relação entre o engenheiro e arquiteto ter sido colaborativa, tecnicamente focada, confiante e eficaz. Esses projetos únicos são uma resposta a uma demanda exigente e ambiciosa do cliente, e as complexas necessidades do desenvolvimento urbano”, afirmou.


   Batlouni explica que o principal público-alvo do seminário é o engenheiro de obras.


Em função disso, a maior parte dos palestrantes procurou apresentar conteúdos bastante densos do ponto de vista técnico. O presidente da Associação Brasileira de Engenharia e Consultoria Estrutural (Abece), Augusto Guimarães Pedreira de Freitas, por exemplo, destacou a importância da interação entre engenheiros de projeto e de obras na produção de estruturas de concreto para minimizar erros.


   Essa relação de proximidade entre as duas áreas, segundo Freitas, é necessária para se avançar na área de engenharia. “O projetista tem medo de como o projeto será executado pelo engenheiro da obra. Com os devidos cuidados, eles voltam a ter confiança e é possível avançar com novas tecnologias”, disse. Ricardo Leite, engenheiro do Metrô de São Paulo, apresentou a evolução dos métodos construtivos nas últimas décadas. A companhia foi pioneira, no Brasil, em escavações profundas executadas a céu aberto, em taludes ou com paredes de contenção, para a construção da malha metroviária. Leite mostrou como esse método mobilizava o maciço do solo e produzia efeitos importantes nas construções vizinhas.


   Hoje, uma gama maior de métodos construtivos, como o shield (também conhecido como tatuzão), está à disposição. O uso deles, isolados ou combinados, possibilitam uma redução significativa das intervenções na superfície. Leite apresentou cases específicos sobre o impacto das escavações no entorno de obras urbanas e sobre os efeitos das construções após o término da obra metroviária.


   O empreendimento Parque da Cidade foi a estrutura de destaque no seminário. O diretor de construção da Odebrecht Realizações Imobiliárias responsável pelo projeto, Eduardo Frare, apresentou o case, ressaltando o sistema adotado para execução da estrutura da torre corporativa – industrializado, com pré-vigas moldadas in loco e lajes alveolares. “Esse é muito utilizado em edificações horizontais como galpões, centros de distribuição etc. Portanto, foi um trabalho de vanguarda o emprego dele no Parque da Cidade, uma edificação vertical.”


   Frare disse que, apesar de depender de uma análise de viabilidade técnica, econômica e financeira, o modelo garante aumento de produtividade, redução do impacto de mão de obra dentro do canteiro, aumento da qualidade e execução dos serviços dentro do prazo. Jorge Batlouni comemora a evolução que tem sido obtida nos projetos da construção nacional e louva a preocupação crescente do mercado com os aspectos estruturais. “Desde 2014, a NBR 6118, que é a principal norma de estrutura, pede que seja realizada a verificação dos projetos da estrutura. Essa análise técnica do projeto é um grande avanço”, afirma.




 

Mais Notícias